FaceBookYoutube

O Jeca Voador e a Corte Celeste (RJ - 2002)

o jeca voadorSINOPSE

Terceira peça do Projeto História Em Cena. Tudo acontece em 1920 e a ação é ambientada na fictícia cidade de Engenho Novo, no interior paulista. O confronto entre o mundo rural e o urbano se instaura quando Lindamar Pinheiro, uma jovem moradora do Rio de Janeiro (então Capital Federal) e sua irmã gêmea Lindarosa (criada entre os recentes arranha-céus de São Paulo) são convocadas pelo Coronel Prudêncio – tio de ambas – para voltarem à fazenda onde nasceram. Uma inesperada situação política se instaura com a prematura morte de Nhá Branca - a jovem que se casaria com o prefeito Fabrício. O Coronel quer que uma das sobrinhas assuma o lugar da defunta e tornar-se a primeira dama de Engenho Novo. Como nenhuma delas, à primeira vista, suporta a idéia, buscam refúgio na casa do primo, o Joca da Venda – um ex-jornalista da capital que trocou a cidade pelo campo. É um nacionalista de primeira ordem e, sendo assim, não suporta os modismos afrancesados de Lindamar. Tampouco concorda com a visão radical de Lindarosa que, ao contrário da irmã fútil e afetada, tornou-se uma ativista política, envolvida com anarquistas italianos. Tudo muda, no entanto, quando ambas conhecem o belo, rico e bem intencionado prefeito Fabrício.




ELENCO

•  André Stock, Carla Faour e Sérgio Canízio.



FICHA TÉCNICA

•  Texto e Direção: Caio de Andrade
•  Diretora Assistente: Adriana Maia
•  Cenário e Figurino: Teca Fichinski
•  Iluminação: Renato Machado
•  Design Gráfico: Tita Nigrí
•  Produção Executiva: Regina Monteiro
•  Direção de Produção: Sílvia Rezende
•  Realização: Centro Cultural Banco do Brasil


TEATRO

• Teatro III do Centro Cultural Banco do Brasil


PREMIAÇÕES

Prêmio Maria Clara Machado:

• Melhor Espetáculo do Ano
• Melhor Ator (André Stock)

Indicações:

• Melhor Autor (Caio de Andrade)
• Melhor Diretor (Caio de Andrade)
• Melhor Figurino (Teca Fichinski)
• Melhor Cenário (Teca Fichinski)
• Melhor Iluminação (Renato Machado)


NOTAS SOBRE O ESPETÁCULO

“Humor, romance, aventura e informação se juntam em perfeito equilíbrio. (...) Um espetáculo como O Jeca Voador e a Corte Celeste, merece ser recebido com aplausos entusiasmados”
(Crítica – Manya Millen – O Globo)

“Não vai ser nada parecido com uma aula enfadonha de história na escola”
(Isabel Butcher – Revista Veja)



CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR O CLIPPING DO ESPETÁCULO